O crescente desenvolvimento econômico dos países tem, nas últimas décadas, levantado inúmeras preocupações relacionadas ao nosso ecossistema.

É notável como as sociedades se tornaram dependentes da energia elétrica para garantir seu desejado funcionamento. Entretanto, dentre as diferentes formas de gerar eletricidade, a maioria é responsável por contaminar e poluir o meio ambiente.

Os combustíveis fósseis, como o petróleo, o gás natural e o carvão mineral, são os meios mais utilizados no mundo para garantir energia elétrica à população. Porém, ao realizarem a queima desses combustíveis nas usinas termelétricas, inúmeros gases poluentes são lançados na atmosfera.

Essa atividade, portanto, tem contribuido para a intensificação do efeito estufa e, consequentemente, para o agravamento do aquecimento global.

Além disso, os recursos fósseis são considerados não renováveis. Ou seja: esses bens naturais podem chegar a se esgotar com seu uso indiscriminado, causando diversos problemas, caso não ocorra a diversificação da matriz energética. 

Por esse motivo, várias tecnologias têm sido desenvolvidas, a fim de proporcionar novas formas de geração de energia que não agridem o ecossistema e permitem a diversificação da matriz.

As fontes que permitem a produção de energia sem causar grandes impactos ambientais são conhecidas como fontes de energia limpa.

Acompanhe este artigo para saber mais sobre esse importante avanço para o meio ambiente!

O que é energia limpa?

O conceito de energia limpa surgiu oficialmente em 1974 na Conferência Mundial do Meio Ambiente, na qual se discutiu a respeito da conscientização ecológica.

Esse termo refere-se à energia gerada por fontes consideradas renováveis sem que ocorra a emissão de poluentes na atmosfera e não gere grandes impactos à natureza.

Entre essas fontes podemos citar:

  • Energia solar;
  • Energia eólica;
  • Energia maremotriz;
  • Energia geotérmica;
  • Energia hidráulica.

No mundo, as energias solar e eólica são consideradas as maiores referências desse tipo de geração limpa.

Além disso, de acordo com a ONU, a partir de dados de 2011, 20% da energia consumida em todo o planeta já é proveniente da utilização de fontes renováveis.

Sabe-se que, nos dias atuais, esse valor é ainda maior e só tende a crescer. Por esse motivo, a energia limpa possui uma excelente projeção no mercado, sendo considerada a energia do futuro!

Pesquisas de especialistas apontam que, até 2030, as fontes de energia verde serão capazes de substituir os combustíveis fósseis, se tornando mais baratas e acessíveis.

Essas grandes mudanças já podem ser percebidas em todo o mundo. A Inglaterra, por exemplo, teve mais eletricidade derivada de fontes renováveis do que de derivados do petróleo em 2019.

Nesse mesmo ano, os Estados Unidos tiveram sua produção por fontes limpas ultrapassando a geração de energia por meio da queima do carvão.

Percebe-se como as potências mundiais estão se adaptando a um melhor estilo de vida, mais consciente com o meio ambiente. Logo, todo o mundo estará disfrutando das diferentes oportunidades de geração de eletricidade consideradas sustentáveis.

4 principais vantagens da energia limpa

Como já vimos, a energia limpa surgiu com o objetivo de substituir os recursos que contribuem para o agravamento do aquecimento global, entre outros sérios problemas ambientais.

Por esse motivo, as vantagens de se utilizar fontes de energia renováveis e verdes são inúmeras, sendo as principais:

  1. Redução da emissão de gases poluentes, em especial do dióxido de carbono (CO2);
  2. Redução da pegada ecológica;
  3. Diversificação da matriz energética;
  4. Propicia redução de custos ao consumidor. Em especial, a energia solar.

Desvantagens da energia limpa

Claramente, as vantagens da energia verde compensam suas desvantagens, que são ínfimas.

Entretanto, vale ressaltar que as fontes limpas ainda geram algum impacto ao meio ambiente. 

A seguir, iremos conhecer um pouco mais sobre os tipos de energia limpa e as vantagens e complicações ocasionadas por cada um deles.

Tipos de energia limpa

É possível gerar energia limpa através de diferentes fontes renováveis. Algumas delas são utilizadas a mais tempo, entretanto ainda ocasionam um certo impacto negativo na natureza.

Contudo, devido ao aprimoramento da ciência, novas tecnologias limpas foram surgindo, visando reduzir esses efeitos nocivos.

Confira a seguir as principais fontes utilizadas em todo o mundo!

1. Energia solar

Gerada a partir da captação dos raios do sol e transformada em eletricidade por meio da utilização de painéis solares, essa energia tem se tornado cada vez mais popular.

O seu uso permite que o consumidor produza eletricidade na própria casa de forma extremamente acessível, desfrutando de uma fonte de energia inteiramente inesgotável.

Um dos maiores benefícios da energia solar é que seu impacto no meio ambiente é praticamente nulo, sendo uma das fontes mais sustentáveis da matriz energética.

Além disso, aquele que detém de placas solares ainda pode desfrutar de uma redução considerável em sua conta de luz!

É importante destacar que existem duas formas de realizar a captação da energia do sol: por meio das tecnologias fotovoltaica e térmica.

A energia solar térmica, como o próprio nome já diz, é obtida através do calor dos raios de luz que chega ao nosso planeta.

Ela é utilizada para aquecer a água ou algum outro líquido, que evapora, passando por turbinas ligadas a geradores que irão produzir energia elétrica.

Há ainda a tecnologia fotovoltaica, que utiliza as placas solares para captar a luz do sol e produzir energia elétrica diretamente.

Esse sistema de produção de energia é considerado o mais moderno e, atualmente, permite que muitas casas e prédios sejam autossuficientes energeticamente!

Mesmo com todas as vantagens já citadas, ainda podemos destacar que:

  • O uso da energia solar pode valorizar seu imóvel;
  • A manutenção de uma usina solar fotovoltaica é extremamente simples;
  • O usuário é capaz de recuperar o dinheiro investido em sua usina em torno de, no máximo, 5 anos;
  • Protege o consumidor da inflação do custo de geração de energia no país.

2. Energia eólica

A energia eólica se aproveita da força dos ventos para gerar eletricidade!

Para isso, é necessário a construção de grandes aparelhos, conhecidos como aerogeradores. Estes possuem turbinas que, ao entrarem em contato com as massas de ar, se movimentam. Assim, a energia mecânica gerada, posteriormente, se transforma em eletrcidade.

O ponto negativo em relação ao uso dessa fonte de energia é que os movimentos das massas de ar não são favoráveis para produção em todos os lugares do mundo.

Em algumas regiões, além da falta de ventos fortes, também existe a limitação do relevo, que impede a construção das torres responsáveis por sustentar os aerogeradores e suas gigantescas pás.

Vale lembrar que, para que a obtenção dessa energia em grandes quantidades seja possível, é necessário a construção de parques eólicos, que possuem um grande número de aerogeradores.

Esses equipamentos possuem um custo expressivo e, com a construção dos parques, um impacto visual e sonoro é criado naquela localidade.

Além disso, os aerogeradores também podem afetar negativamente os movimentos migratórios das aves.

Por esses motivos, é necessária uma intensa pesquisa para a definição da localização dos parques eólicos.

3. Energia maremotriz

Essa fonte de energia utiliza das altas e baixas das marés para produzir eletricidade. Ou seja, é por meio dos movimentos ocasionado pelas águas do mar que é possível gerar energia limpa!

Para isso, são construídas barragens, nas quais, quando a maré está alta, a água do mar é capturada e armazenada em diques. Já quando a maré diminui, essa água armazenada é devolvida ao oceano, passando por uma turbina.

O grande volume de água, ao entrar em contato com as turbinas, as movimentam, possibilitando a geração de energia elétrica.

Essa energia obtida pela diferença de altura das marés é conhecida como potencial gravitacional.

Além disso, é possível gerar energia cinética aproveitando da movimentação das correntes marítimas. Nesse caso, as turbinas se localizam no fundo do mar. Quando há a passagem de alguma corrente, essas turbinas se movimentam, produzindo também eletricidade.

Com isso, é possível notar que a energia maremotriz ocasiona poucos impactos ambientais. Contudo, entre suas desvantagens podemos citar:

  • Investimento elevado para construção do sistema necessário;
  • Dificuldade em implementar as barragens e turbinas;
  • É intermitente, uma vez que depende dos ciclos das marés.

4. Energia geotérmica

A energia geotérmica é obtida através do aproveitamento do calor proveniente do interior da Terra.

Para isso, grandes perfurações no solo devem ser realizadas, permitindo que essa energia seja utilizada diretamente – usufruindo somente do calor ali obtido – ou de forma indireta.

Nesse caso, a água quente ou o vapor encontrado por meio das perfurações serão captados através de tubos. Estes são direcionados a usinas específicas, onde o vapor ou líquido são liberados sob uma intensa pressão.

Essa liberação faz com que turbinas se movimentem, acionando geradores que permitem a produção de energia elétrica.

Apesar de ser considerada uma energia limpa, essa fonte possui algumas desvantagens, como:

  • Dificuldade de encontrar locais em que as usinas geotérmicas podem atuar;
  • O processo de obtenção de energia libera o gás sulfídrico (H2S);
  • Há relatos de poluição de rios e lagos presentes nas localidades das usinas.

5. Energia hidráulica

Essa fonte de energia é a mais utilizada em todo o Brasil corresponde ao aproveitamento da queda de água contida em represas para girar turbinas que produzem eletricidade nas usinas hidrelétricas.

Como essa produção não emite gases nocivos ao efeito estufa e é proveniente de um recurso renovável, a energia hidráulica é considerada limpa.

Contudo, sérios impactos negativos podem ser citados decorrentes da construção e funcionamento das hidrelétricas.

Nesse sentido, nota-se a inundação de grandes regiões durante suas construções. Por causa disso, por vezes, pulações inteiras são obrigadas a se mudarem para uma nova localidade. 

O desvio do curso dos rios é outro exemplo de prejuízo econômico para as comunidades ribeirinhas, que perdem sua fonte de renda e, em muitos casos, de sobrevivência.

Energia limpa no Brasil

Quando se trata de energia limpa, o Brasil está no caminho certo!

De acordo com a FIEMG, Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, nosso país possui uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, perdendo somente para os Estados Unidos e a China.

Visto que a energia hidráulica é a dominante no território brasileiro, em 2017, 80% de toda a energia gerada foi proveniente de fontes renováveis. Além disso, o país é responsável por produzir 7,2% de toda a energia renovável do mundo.

Entretanto, ainda temos um longo caminho pela frente para que ocorra a redução do uso dos combustíveis fósseis, em especial no setor de transportes.

Outro problema a ser enfrentado é a diversificação da matriz energética, sendo necessário incentivos para o desenvolvimento de outras fontes de energia limpa.

Utilize uma energia limpa e sustentável!

Já pensou em adquirir uma tecnologia de alta qualidade que te trará benefícios financeiros e, ao mesmo tempo, contribuirá para o meio ambiente?

A energia solar fotovoltaica é perfeita para você!

Acesse o nosso blog e entenda mais sobre o tema. Ele contém inúmeros artigos a respeito da energia solar.

Caso tenha interesse em adquirir uma usina solar para sua residência ou empresa e deseja saber o quanto isso custará, a SolarChio - maior empresa de soluções em energia solar do estado da Bahia - preparou a ferramenta perfeita para você!

Clicando aqui, será possível analisar suas necessidades e obter o orçamento ideal!

Descubra agora o valor de seu investimento para começar a aproveitar as vantagens dessa tecnologia tão promissora!